Blog

Açúcar e adoçante: qual opção é mais saudável?

Açúcar e adoçante: qual opção é mais saudável?

As diferenças entre a ação e os benefícios do açúcar e do adoçante são frequentemente discutidas e nem sempre há um consenso. Muitas vezes, as pessoas acabam utilizando apenas uma opção por acreditarem ser a mais saudável. Mas afinal, o que difere um do outro? Será que realmente existe uma opção melhor que a outra ou tudo depende do estilo de vida e estado de saúde de cada indivíduo?

A nutricionista Marcia Daskal, da Recomendo Assessoria em Nutrição, explica que o açúcar e o adoçante são substâncias diferentes, mas usadas com a mesma finalidade: adoçar. A sacarose, o “açúcar de mesa”, é um carboidrato simples, composto por glicose e frutose, natural da cana-de-açúcar ou de outros vegetais (como a beterraba), sendo responsável pelo fornecimento de energia. Já os adoçantes ou edulcorantes são substâncias não calóricas variadas com poder de dulçor muito superior ao açúcar e que, por isso, podem ser usados em pequenas quantidades.

Apesar dos adoçantes ainda serem vistos por muitas pessoas como uma opção mais saudável, isso não é comprovado.  A ausência de açúcar não torna a alimentação mais saudável, pois o que importa é a forma e a quantidade com que o ingrediente é consumido e de que maneira isso se encaixa no estilo de vida de cada pessoa.

Os edulcorantes são comumente utilizados na substituição da sacarose com o objetivo de reduzir o valor calórico dos alimentos e bebidas. Porém, essa substituição não necessariamente garante uma redução de calorias, já que alguns produtos têm uma maior quantidade de gordura na formulação. Resultado: algumas pessoas acabam aumentando o consumo dos alimentos light e podem comer até mesmo mais calorias. Nos casos de obesidade, ambos podem ser utilizados, pois o importante é a alimentação como um todo.

“Se o indivíduo, além da obesidade, tem diabetes por exemplo, pode ser estratégia do nutricionista ou médico que o acompanha optar pelo adoçante na maioria das vezes”, destaca Marcia Daskal. O Ministério da Saúde indica o uso de adoçantes como parte do tratamento do diabetes, já que não requerem insulina para sua absorção. Porém, isso não quer dizer que alguns diabéticos não possam consumir açúcar, desde que com acompanhamento de nutricionista e médico, a critério do profissional de saúde.

A relação do uso do açúcar e do adoçante para quem pratica atividades físicas também gera muitas dúvidas. De acordo com a pesquisa “Consumo equilibrado: uma nova percepção sobre o açúcar”, realizada pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia no âmbito da Campanha Doce Equilíbrio, 73% da população que consome açúcar e pratica atividade física está com o peso adequado, o que reforça o conceito errôneo de “vilanizar” ingredientes, além de comprovar a possibilidade do uso de açúcar dentro de um estilo de vida saudável.

De qualquer forma, para quem se exercita regularmente, o consumo de açúcar ou adoçante também depende do contexto. Marcio Mancini, endocrinologista responsável pelo Grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica do Hospital das Clínicas da USP, afirma que “para o atleta, o uso de açúcar e glicose pode ser necessário, dependendo do tipo, duração e intensidade da atividade física”.

O preparador físico Marcio Atalla salienta: “O ideal é ingerir um carboidrato simples no pré-treino, pois vai dar energia para fazer os exercícios propostos. Sendo assim, uma fruta ou um pão com geleia são boas opções. Para depois da atividade, recomenda-se ingerir um carboidrato e uma proteína, a última ajudará na construção dos músculos. Não há uma regra certa, mas é essencial se alimentar antes e depois do treino”.

Num modo geral, o estilo de vida não é definido por um ou alguns ingredientes consumidos isoladamente e sim por um conjunto de fatores. A combinação de uma alimentação equilibrada e atividades físicas é sempre a base para viver de forma saudável e evitar doenças. Além disso, é imprescindível o acompanhamento e orientação de especialistas, além da avaliação de cada caso.



Instagram

Quer mais dicas de saúde e bem-estar? Siga-nos no Instagram!



Leia mais sobre Saúde

Redução e taxação de açúcar não contribuem no combate à obesidade

Redução e taxação de açúcar não contribuem no combate à obesidade

Análises mostram que alguns países que optaram por esse tipo de ação não tiveram resultados efetivos no longo prazo.

Marcio Atalla comenta dados do IBGE sobre sedentarismo e reforça o papel da informação como aliada a um estilo de vida saudável

Marcio Atalla comenta dados do IBGE sobre sedentarismo e reforça o papel da informação como aliada a um estilo de vida saudável

O preparador físico Marcio Atalla comenta o tema e fala sobre como começar um movimento favorável à saúde.