Blog

Conheça as cinco tendências da nutrição

Conheça as cinco tendências da nutrição

Se tem uma área que está sempre em transformação é a da alimentação. Entre dietas da moda até belos e saborosos cardápios gourmet, a variedade de pratos e receitas é imensa. Assim como diversas receitas surgem, outras são reformuladas constantemente, movimentando esse mercado a cada novidade. Em meio à tanta informação, muitas vezes fica difícil saber o que é o mais indicado quando o assunto é saúde. A boa notícia é que novas tendências em nutrição estão chegando para trazer mais prazer à mesa.

“As pessoas precisam resgatar o prazer de comer. Mais importante do que seguir dietas da moda é conhecer o próprio corpo e suas necessidades e, assim, supri-las da maneira adequada. Alimentar-se não pode ser um fardo. Deve ser um ato de alegria, de compartilhar com pessoas queridas, de se sentir bem”, explica Marcia Daskal, nutricionista e proprietária da Recomendo Assessoria em Nutrição.

Confira cinco tendências de alimentação que estão em alta nas mesas:

  1. Sensorialidade e prazer – A experiência gastronômica já faz parte da vida do brasileiro, principalmente, com a chegada dos food trucks, que oferecem, na maioria das vezes, cardápios diferenciados e não habituais. O futuro é trazer a inventividade também para os pratos elaborados em casa. “Há uma grande valorização da culinária experimental, gerando a socialização em torno da alimentação, o que reforça a relação da comida com prazer”, afirma Marcia.
  1. Geração de vilões e heróis – Não é de hoje que alguns alimentos vêm sendo classificados como heróis ou vilões da saúde e essa é uma prática que deve continuar. Já aconteceu com o ovo, o sal, a gordura, o açúcar, entre tantos outros. É preciso ter cautela antes de eleger um nutriente ou alimento como bom ou ruim. “Acreditando em milagres, as pessoas acabam mudando os comportamentos alimentares para alguns de caráter obsessivo e chegam a desenvolver uma relação inadequada com a comida, baseada em terrorismo nutricional e sensação de inadequação. Porém, é preciso lembrar que nenhum alimento isoladamente é responsável por desenvolver uma doença ou engordar, por exemplo. A questão está no equilíbrio do consumo, seja qual for o grupo alimentar”, aponta a nutricionista.
  1. Conveniência e praticidade – Existe agora uma demanda por alimentos em pequenas porções e embalagens individuais para comer em trânsito (on-the-go) ou em diferentes lugares e situações que sejam convenientes, porém de maneira saudável. O lado positivo é que mesmo com a correria de rotina, o indivíduo pode prestar atenção na alimentação, consumindo boas opções de forma prática, atendendo às necessidades nutricionais do dia a dia.
  1. Resgate de alimentos e ingredientes tradicionais e étnicos – Restaurantes de comidas regionais e locais estão ganhando força. Além das culinárias étnicas, como a peruana, a mexicana e a japonesa, que também ganham cada vez mais espaço no Brasil. Há também o que é chamado de “gourmetização” de certos itens, ou seja, alimentos típicos (como café, coxinha, hambúrguer, brigadeiro, doces em geral) que estão sendo incrementados no seu preparo.
  1. Uso de ingredientes caseiros, locais e orgânicos – As pessoas estão cada vez mais preocupadas com o uso excessivo de defensivos agrícolas e com as questões como o processo de produção dos alimentos até chegarem ao mercado. “Nesse sentido, alimentos “caseiros” ou “artesanais” ganham espaço e têm sido muito procurados por quem opta pelo consumo consciente. Exemplos são as cervejas artesanais, bolos caseiros e os chocolates de origem, entre outros”, destaca Marcia.

Em meio a tantas novidades que surgem no mercado da alimentação, o segredo para aproveitar um pouquinho de tudo é o equilíbrio. Não é preciso excluir nenhum alimento, nem seguir dietas extremas que são constantemente divulgadas como funcionais. São essas mudanças e misturas que despertam o prazer do paladar.



Instagram

Quer mais dicas de saúde e bem-estar? Siga-nos no Instagram!



Leia mais sobre Saúde

Açúcar é melhor aproveitado pelo organismo quando ingerido próximo às refeições

Açúcar é melhor aproveitado pelo organismo quando ingerido próximo às refeições

Questões como o momento ideal e como consumir os doces dentro da alimentação geram diversas dúvidas, mitos e incertezas, que fazem com que esse hábito se torne muito mais complicado do que é.

Por que o brasileiro é apaixonado por açúcar?

Por que o brasileiro é apaixonado por açúcar?

Pesquisa realizada com pacientes do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, no âmbito da Campanha Doce Equilíbrio, identificou que 71% da população consome açúcar habitualmente.